27/01/2010

~~Lado a lado...


Não vou mais buscar desejos inalcansáveis ou muito menos lutar por desejos alheios. Permaneço olhando através da porta entreaberta e através da escuridão; a fresta de luz parece ser menor, menos nítida.
Ela realmente está apagando ou são os meus olhos que acostumaram com a sua intensidade e o veêm menor do que realmente é?
Essas palavras cortantes que estão engasgadas na minha garganta me fazem sangrar, embora com bem menos intensidade que as instaladas em meu peito. Mais não  me lamento. Se sangro é porque vivo! Isso é fato, isso é consolador!
A ausência de diseres me consome bem mais que qualquer outra coisa.
Desejo ser palavra, ser sentimento, ser leve, ser até brisa. Não sou!
Absorvo e guardo dentro do meu estômago a amargura das frases soltas que ocupam o espaço antes ocupado pelas borboletas. Sabe, borboletas no estômago?? Ficou muito ácido?
Manipuladora e manipulada... Sou!
Manipulo meus sentimentos na intenção ingênua de amenizar a dor alheia, e a minha dor?
Na verdade não existe "minha dor" não a sinto. Ela sou eu, eu sou ela. Andamos em parceria, uma amizade corriqueira, fútil e infiel!

2 Comentários:

rutty disse...

Manipulo meus sentimentos na intenção ingênua de amenizar a dor alheia, e a minha dor? [2]

essa é pertecente apenas a nós, talves seja a mesma SEMPRE, então acostumamos e as vezes nem a sentimos mais.
paciÊncia rs. :*

Cintia disse...

Adorei o texto...!

 
Lady Owl ©Template por 187 tons de frio. Resources:falermpiard e magg.