06/03/2011

~~É carnaval!

Não vou usar a desculpa do carnaval para me fantasiar, tentar ser quem não sou e me arrepender mais adiante, e também não usarei nenhuma máscara. Aqui estou, de cara limpa, dizendo que sim, eu sinto muito. Demasiadamente e fim.
Me sinto extremamente só, por vezes.
Me sinto extremamente triste, por vezes.
Me sinto absolutamente sem rumo... Por vezes.
Sei que a vida nos impõe algumas coisas, e nós acabamos ficando de frente a algumas escolhas (inevitáveis) que podem mudar toda a nova vida. 
Fazemos coisas erradas, magoamos pessoas que amamos, ou somos magoados por elas. As vezes ficamos sozinhos... Escolha?
É... Algumas vezes porque escolhemos, mas digo com convicção que quando o escolhemos, não desejamos que seja assim para sempre.
Talvez minhas palavras estejam me enrolando, como serpentinas.
O que quero dizer é que, ninguém é totalmente feliz ou totalmente triste. Que ninguém consegue viver absolutamente só. 
Minha vida não é perfeita, não tenho tudo que quero nem tenho um relacionamento perfeito. Estou bem com o que tenho em mãos. Essas pequenas coisas mesmo que incompletas me proporcionam bons momentos.
Não tenho milhares de amigos. Nem sei quantos tenho na verdade. Parar pra pensar e enumerá-los me deprime um pouco. Garanto que se muito, chegam a preencher uma de minhas mãos. Mas quantidade não é qualidade... É o que dizem não é?
Mas também não cheguei até aqui para acabar com a festa de tantos. Não é desabafo. E se for, não tem porque ser lido.


Como diria Los Hermanos:

Todo dia um ninguém josé acorda já deitado
Todo dia ainda de pé o zé dorme acordado
Todo dia o dia não quer raiar o sol do dia
Toda trilha é andada com a fé de quem crê no ditado
De que o dia insiste em nascer
Mas o dia insiste em nascer
Pra ver deitar o novo
Toda rosa é rosa porque assim ela é chamada
Toda Bossa é nova e você não liga se é usada
Todo o carnaval tem seu fim
Todo o carnaval tem seu fim
E é o fim, e é o fim
Deixa eu brincar de ser feliz,
Deixa eu pintar o meu nariz
Toda banda tem um tarol, quem sabe eu não toco
Todo samba tem um refrão pra levantar o bloco
Toda escolha é feita por quem acorda já deitado
Toda folha elege um alguém que mora logo ao lado
E pinta o estandarte de azul
E põe suas estrelas no azul
Pra que mudar?
Deixa eu brincar de ser feliz,
Deixa eu pintar o meu nariz

(Todo Carnaval tem seu fim)

E eu me pergunto... Quando o meu finalmente terá um início?




Cheiro do dia: Tinta colorida seca no asfalto.

2 Comentários:

Edi Reis disse...

O melhor da blogosfera é deparar com textos assim. Adorei sua maneira de escrever, suas palavras e ideias. Parabéns!
Já estou seguindo!

bjoo
http://feedbackpositivoagora.blogspot.com/

Fabi disse...

Tá bom, já vi que nunca a folia, me diga o que vc fez no feriadão dos foliões???
obrigada por me visitar... gosto do seu rostinho lá..
mil beijos

 
Lady Owl ©Template por 187 tons de frio. Resources:falermpiard e magg.